09 janeiro 2010

James Rachels – o problema do livre-arbítrio #1

Perto do fim da sua vida, Isaac Bashevis Singer (1904 – 1991) concebeu um conjunto de respostas padrão para as questões que os entrevistadores lhe faziam. Quando lhe perguntavam qual era a sua filosofia de vida, Singer respondia: «Acredito no livre-arbítrio. Não tenho escolha.»
Singer sabia que este pequeno gracejo colocava uma questão filosófica séria. É difícil não pensar que temos livre-arbítrio. Quando estamos a decidir o que fazer, a escolha parece inteiramente nossa. A sensação interior de liberdade é tão poderosa que podemos ser incapazes de abandonar a ideia de livre-arbítrio, por muito fortes que sejam as provas da sua inexistência.
James Rachels, Os problemas da filosofia, tr. Pedro Galvão, Gradiva, pp. 181, 182.

2 comentários:

Ruan Caio disse...

Gostaria de ver o texto por completo, vc tem disponível ? Abraço e parabéns !!

Rui Areal disse...

O livro existe e não está esgotado em Portugal. Em formato «digital» não conheço. Encontra aqui (http://criticanarede.com/metafisica.html) uma série de textos fantásticos sobre o problema metafísico da liberdade, e aqui (http://criticanarede.com/etica.html textos do Rachels sobre temas éticos.
Boas leituras.

filosofiareal

«Quem hoje em dia ensina filosofia não selecciona o alimento para o seu aluno com o objectivo de lhe adular o gosto, mas sim para o modificar.»
Wittgenstein