21 novembro 2009

Como estudar filosofia - Texto de Desidério Murcho

Alguns estudantes de filosofia sentem-se perdidos perante a imensidão de bibliografias e filósofos. Por onde começar? Como fazer?
Este problema é agravado porque se usa muitas vezes a metodologia da autoridade doxástica: considera-se que estudar filosofia é fundamentalmente conhecer a opinião de várias autoridades importantes. E desata-se a ler esta e aquela autoridade, penetrando a custo nas complicações da sua linguagem e das suas ideias.
Eis uma metodologia diferente de estudo da filosofia. Começa-se com os problemas, e não com as opiniões das autoridades. O ponto de partida é um problema ou família de problemas. Os melhores problemas ou famílias de problemas por onde começar são os mais gerais e centrais da filosofia. Em vez de começar por estudar o problema de saber se há ou não uma linguagem privada, começar por estudar o problema geral do significado: o que é isso de uma sequência de sons ou marcas num papel terem significado? Eis outro exemplo: em vez de começar por estudar a diferença entre o utilitarismo das regras e dos actos, começar por estudar o que será afinal o bem último, se é que há tal coisa, e que melhores candidatos há.
[A ler na íntegra em criticanarede]

Sem comentários:

filosofiareal

«Quem hoje em dia ensina filosofia não selecciona o alimento para o seu aluno com o objectivo de lhe adular o gosto, mas sim para o modificar.»
Wittgenstein